Lula não tem chances de vencer em 2018, opina colunista

Lula não tem chances de vencer em 2018, opina colunista

Em Linhas Gerais

Gessi Taborda – getaco@gmail.com

FILOSOFANDO

“O difícil não é viver com as pessoas, o difícil é compreendê-las.” JOSÉ SARAMAGO (1922/2010), escritor de Portugal, galardoado com o Nobel de Literatura em 1998. Seu maior sucesso literário foi “Ensaio Sobre a  Cegueira”, adaptado para o cinema.

ZONA DE CONFORTO

Num estado onde a política demora demais para entrar no estado de fervura os nomes inseridos na relação dos mais prováveis candidatos à sucessão mantém-se na zona de conforto, evitando manifestar-se publicamente sobre os fatos mais polêmicos da política do momento. Alguns agem assim por cautela e não por medo de se comprometer.

ACONCHEGO

Esse é, por exemplo, o caso do próprio Expedito Júnior, ainda preferindo o aconchego da sombra do silêncio. Ele bem poderia opinar sobre as reformas em votação no Congresso ou até mesmo sobre a desdita de políticos locais incluídos na “Lista do ministro Fachin”. Afinal, Expedito é o presidente regional do PSDB.

Ontem uma fonte próxima do tucano explicou: “Expedito só pretende sair da zona de conforto e assumir uma candidatura quando, e se, perceber perspectivas eleitorais concretas.”

NO TRECHO

É claro que Expedito Júnior será candidato em 2018. Só isso pode justificar suas constantes andanças pelo interior de Rondônia. E mesmo na capital o político cumpre uma agenda carregada por muitas reuniões por roteiros cobrindo toda a periferia de Porto Velho. Sempre conversando e assuntando sem indicar que cargo almeja.

AMANHÃ É GREVE

Lideranças sindicais e políticas rondonienses estão otimistas com a campanha em favor da greve marcada para amanhã, com o objetivo de parar o país em protesto contra as reformas propostas por Temer.

Ontem uma dessas lideranças contou à coluna que até nas menores cidades rondonienses, escolas e repartições estão mobilizadas para integrar o movimento paredista.

BOA DATA

De acordo com a fonte da coluna, a data escolhida, antes do fim de semana prolongado pelo 1º de Maio, favorece a adesão do setor público. O protesto vai ser grande principalmente ter o apoio – segundo o sindicalista – de lideranças comunitárias e da Igreja, principalmente da católica.

Em se tratando de Porto Velho, supõe-se que a greve dos motoristas e cobradores poderá ser reforçada, contribuindo para reter em casa um contingente expressivo de trabalhadores.

COMO SEMPRE

Enquanto isso vai acontecendo no seio da sociedade dos trabalhadores e contribuintes, os deputados estaduais e vereadores se mantinham inertes e atônitos diante desse movimento, sem manifestação e sem interesse em interpretar o clima hostil da população às “reformas” que podem passar no Congresso diante da pressão do governo Temer.

FACULTATIVO

Não houve confirmação, mas os informes disponíveis no dia de ontem davam conta de que se os dirigentes públicos do Executivo e Legislativo perceberem que a greve da sexta feira é inevitável, o ponto facultativo pode ser decretado.

Como se sabe os chefes desses poderes concorrerão no processo eleitoral do próximo ano e precisam evitar atritos com os servidores públicos. A decretação de ponto facultativo pouparia gastos na máquina pública, uma vez que o expediente já estaria prejudicado. Esse raciocínio está presente na esfera das administrações municipais.

APOSTANDO

Com tudo isso, dizem as lideranças mais experientes, a greve da sexta feira pode ser a maior em décadas, superando todas as manifestações mais recentes.

COMPLICADA

A opinião é de advogados locais com vivência em processos de políticos que tramitam na esfera do judiciário local. Para esses causídicos, a situação jurídica de Lula está cada vez pior, e dificilmente ele conseguirá escapar de uma pesada condenação por parte do juiz Sergio Moro, à frente das investigações na operação Lava Jato.

De acordo com esses advogados, Lula provavelmente poderá recorrer em liberdade, e aí sua sorte estará nas mãos do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

COMO GENI

O noticiário cotidiano transformou o ex-presidente brasileiro na Geni, aquela personagem da música feita por Chico Buarque. Mas há um esforço fenomenal para que Lula seja mantido como um herói do povo, apesar do transbordamento de sua mochila de equívocos, um trabalho feito de forma incansável pelos seus advogados. O “lulismo” se converteu numa religião e para seus seguidores, Lula é o deus.

COISA MOMENTÂNEA

O colunista tem sustentado a opinião de que Lula não tem chances de vencer, nem que todas as pesquisas do momento lhe sejam favoráveis. Ainda haverá gente dizendo – diante das delações e das provas colhidas pela Lava Jato – que tudo isso são coisas dos fascistas da Lava Jato, invencionices da grande mídia patrocinada pelo governo americano, coisa dos coxinhas, dentre outras justificações ideológicas, que contam com a insanidade popular, visando dar ares de que inexistem os crimes praticados por Lula, Dilma e curriola petralha. No momento essa narrativa do tipo “me engane que eu gosto” aparentemente funciona por que os demais partidos foram atingidos pelo tsunami da Lava Jato.

CENÁRIO DIFERENTE

Não dá para saber se Lula estará ou não elegível em 2018. Se chegar lá, em campanha já não contará com a generosa ajuda das empreiteiras. Além disso, o PT está desidratado e envergonhado, por conta da sucessão de escândalos em torno de seu nome. Sem contar o fato de que o mundo sindical não estará unido a seu lado. E para piorar, Lula sofrerá um bombardeio midiático intenso, já que passou a personalizar tudo de ruim que aconteceu no Brasil nos últimos anos. Poderá até chegar ao segundo turno (façanha quase impossível), mas ganhar é outra história.

Autor / Fonte: Gessi Taborda

Comentários

Leia Também