Primeiro encontro Paciente Seguro destaca avanços e desafios do Núcleo de Segurança do Complexo Hospitalar Regional de Cacoal

Primeiro encontro Paciente Seguro destaca avanços e desafios do Núcleo de Segurança do Complexo Hospitalar Regional de Cacoal

Encontro reuniu profissionais de saúde e acadêmicos que puderam conhecer os avanços e os desafios enfrentados pelos Núcleos de Segurança do Paciente

Um desafio na melhoria da assistência em saúde de Rondônia foi o tema do 1º Encontro Paciente Seguro realizado pelo Complexo Hospitalar Regional de Cacoal (HRC) na última sexta-feira, 13.

O encontro, realizado no auditório do HRC, reuniu profissionais de saúde da rede pública e particular, além de acadêmicos que tiveram a oportunidade de conhecer os avanços e os desafios do Núcleo de Segurança do Paciente, do Hospital Regional e do Hospital de Urgência e Emergência Regional de Cacoal (Heuro).

Visando criar barreiras para que erros não sejam cometidos ao longo do tratamento do paciente, dentro do ambiente hospitalar, a implantação do Núcleo de Segurança do Paciente aconteceu com a determinação do Ministério da Saúde (MS). De acordo com o MS, o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP) foi criado para contribuir para a qualificação do cuidado em todos os estabelecimentos de saúde do território nacional. A Segurança do Paciente é um dos seis atributos da qualidade do cuidado e tem adquirido, em todo o mundo, grande importância para os pacientes, famílias, gestores e profissionais de saúde com a finalidade de oferecer uma assistência segura.

Neste sentido, o Ministério da Saúde tem desenvolvido diversas ações para a promoção da segurança do paciente. Seja através de medidas educativas e divulgação das boas práticas para profissionais de saúde, pacientes e acompanhantes, o MS tem focado na implementação de seis metas estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde: 1 – Identificar corretamente o paciente; 2 – Melhorar a comunicação entre profissionais de saúde; 3 – Melhorar a segurança na prescrição, no uso e na administração de medicamentos; 4 – Assegurar cirurgia em local de intervenção, procedimento e pacientes corretos; 5 – Higienizar as mãos para evitar infecções e; 6 – Reduzir o risco de quedas e úlceras por pressão.

“Hoje o ministério preconiza seis metas e no Complexo Hospital de Cacoal já conseguimos implantar três, que é a identificação do paciente, medicação segura e higiene das mãos”, destaca a coordenadora do programa no Heuro, Ana Maria Vaz.

Após um ano de implantação do Núcleo de Segurança do Paciente no HRC e Heuro, a coordenadora do Núcleo no Hospital Regional de Cacoal, Regina Silva, garante que diversos avanços foram percebidos, principalmente em relação à identificação do paciente, desde o momento da internação até a alta hospitalar.  “São criadas diversas barreiras para que o paciente receba todo o tratamento adequado, barrando qualquer erro que eventualmente possa acontecer durante a internação, como medicação trocada, cirurgia em membros errados e coisas do tipo que são inaceitáveis”, destaca.

Em relação às outras três metas colocadas pela Organização Mundial de Saúde e que ainda precisam ser implementadas nos hospitais de Cacoal, a previsão é de que ainda neste ano todos os protocolos sejam respeitados e seguidos para garantir a segurança dos pacientes.

Autor / Fonte: Giliane Perin/Secom

Leia Também

 
Loading...