Publicada em 19/09/2012 - 08:50   /  Autor:  Mara Paraguassu
Policiais federais pedem apoio de Padre Ton para projeto de reestruturação da carreira

O deputado Padre Ton disse que vai solicitar ao Ministério da Justiça a reabertura do diálogo


Há 43 dias em greve, os policiais federais concentram agora sua principal reivindicação - a reestruturação da carreira - no Poder Legislativo. Dirigentes da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) foram recebidos hoje (18) pelo deputado federal Padre Ton (PT-RO), para explicar as razões da greve, “deflagrada depois de mais de 900 dias de negociação entre a categoria e o governo federal”, segundo documento entregue ao parlamentar com pedido de apoio. 
 
 
 
O vice-presidente da Fenapef, Paulo Roberto Poloni Barreto, sugere como ação política o envio à Presidência da República e aos ministros do Planejamento e da Justiça de documento com pedido de atendimento à reivindicação de reestruturação da carreira. Do encontro participaram também o diretor de Seguridade Social, Naziareno Florentino dos Santos; o presidente do SINDIPOL/DF, Jones Leal e o diretor da entidade Flávio Werneck.
 
 
 
Poloni Barreto explicou que passados mais de 15 anos de exigência do nível superior para todos os cargos da Polícia Federal, somente em março deste ano é que a tabela de remuneração dos servidores públicos federais passou a descrever os cargos de escrivães, papilocopistas e agentes da Policia Federal (EPAs) como de nível superior, mas “o reconhecimento não veio acompanhado da lógica e consequente readequação salarial”.
 
 
 
“Os vencimentos dos EPAs são inferiores a todos os demais cargos para os quais se exige requisitos de investidura semelhantes”, relatou o dirigente, citando como exemplos funcionários da Receita Federal e das agências reguladoras. “Os agentes, escrivães e agentes são hoje as únicas carreiras típicas de Estado com remuneração abaixo das carreiras semelhantes de nível superior”.
 
 
 
Segundo ainda os dirigentes da Fenapef, um estudo comparativo de remunerações dadas às carreiras típicas de Estado nos últimos 10 anos não deixa dúvidas: os EPAs foram preteridos em relação às demais categorias. O resultado da falta de valorização é uma evasão de cerca de 200 profissionais por ano dos quadros da Policia Federal.
 
 
 
A proposta de reestruturação salarial e de carreira foi apresentada no ultimo dia 12 à Direção Geral do Departamento de Polícia Federal (DPF) durante reunião com os 27 superintendentes e representantes do Conselho Nacional de Polícia. 
 
 
 
Em sua página na Internet (www.fenapef.org.br), os policiais estão divulgando um vídeo para explicar à população as razões da manutenção da greve, iniciada no dia 7 de agosto.   Com três minutos de duração, o vídeo explica que a principal reivindicação dos servidores da PF não é o reajuste salarial, e sim a reestruturação de carreira com um plano "condizente com a formação, cuja exigência é o nível superior”.
 
 
 
Os dirigentes sindicais entregaram ao deputado um livro feito pela Federal denominado "Inquérito Policial, Uma Pesquisa Empírica" e todo o material referente as reivindicações da categoria, para que ele possa compreender melhor o trabalho realizado no dia a dia de um agente.
 
 
 
O deputado Padre Ton disse que vai solicitar ao Ministério da Justiça a reabertura do diálogo com a categoria, “uma vez que com o Ministério do Planejamento os encaminhamentos e acordo estão concluídos”. A solicitação e pedido de apoio para a reestruturação de carreira dos policiais federais devem ocorrer nesta quarta-feira (19), quando está prevista audiência do deputado no Ministério

COMENTÁRIOS

Nenhum Comentário Publicado. CLIQUE AQUI E SEJA O PRIMEIRO!
Rua Getúlio Vargas, 2086 - Sala F
São Cristovão / Porto Velho - RO
Fone: 69 3229-0169 / 8439-0794
rondoniadinamica@gmail.com
© Copyright 2012 RONDÔNIA DINÂMICA COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA