Pivôs de guerra na Rocinha, Nem e Rogério 157 serão "vizinhos de cela" em presídio federal de Rondônia

Pivôs de guerra na Rocinha, Nem e Rogério 157 serão

Em breve, os pivôs da guerra mais recente pelo controle do tráfico na favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul, que teve início em setembro do ano passado, estarão bem próximo um do outro. Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, será transferido para o Presídio Federal de Porto Velho, em Rondônia, a mesma unidade onde está Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem.

A ida de Rogério para a penitenciária foi autorizada pela Justiça Federal de Rondônia. Na última terça-feira, a juíza da 20ª Vara Criminal do Rio convalidou a decisão. Atualmente, o traficante, preso no início de dezembro do ano passado, está na Penitenciária Laércio da Costa Pellegrino, Bangu 1, unidade de segurança máxima no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio. Ainda não há previsão para a transferência do criminoso, mas seus advogados acreditam que ela não deve demorar a acontecer.

Apesar da proximidade, Rogério e Nem podem não se encontrar dentro do presídio federal. As unidades contam com quatro ambientes diferentes, conhecidos como vivência, cada um deles com um pátio onde os presos têm banho de sol. Internos que não podem ter contato ficam em diferentes ambientes.

A ida de Rogério 157 para presídio federal foi pedida pela Secretaria de Segurança, logo após a prisão do criminoso. A transferência foi autorizada pela juíza da 20ª Vara Criminal do Rio.

No fim do mês passado, o pedido foi encaminhado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen) à Justiça Federal. O departamento, vinculado ao Ministério da Justiça e responsável pela gestão dos presídios federais, que indica para qual unidade determinado preso irá. Atualmente, há quatro presídios federais — além de Porto Velho, Catanduvas, no Paraná, Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e Mossoró, no Rio Grande do Norte.

A decisão que convalidou a ida de Rogério 157 para presídio de Porto Velho Foto: Reprodução/ site TJ/RJ

Disputa pelo controle da favela

Rogério 157 comandava o tráfico na favela da Rocinha para Nem, preso desde novembro de 2011. Em setembro de 2017, os dois começaram uma guerra pelo domínio da favela. Nem teria ordenado que Rogério devolvesse a ele o morro, e o antigo aliado se recusou.

Com isso, os comparsas de Nem, do Amigos dos Amigos (ADA) atacaram a Rocinha para tentar tomar a comunidade. Acuado, Rogério 157 aliou-se ao Comando Vermelho (CV), e passou a contar com o apoio da facção para a guerra.

Rogério foi preso no dia 6 de dezembro do ano passado, numa operação de delegacias da Polícia Civil do Rio na Favela do Arará, em Benfica, na Zona Norte do Rio. Ele estava escondido na laje de uma casa na comunidade. Seus comparsas conseguiram fugir e o bandido estava sem nenhum segurança.

Autor / Fonte: Carolina Heringer/Extra

Leia Também

Loading...