‘O Espectador’ no noticiário nacional; Boto Rock é nostalgia pura – e as ramificações do escândalo da ponte podem atingir outros governos

‘O Espectador’ no noticiário nacional; Boto Rock é nostalgia pura – e as ramificações do escândalo da ponte podem atingir outros governos

Confira ainda: Mário Sérgio é absolvido em sete ações penais – e Rondônia tem dado preocupante ligado à segurança pública

Caso Barroso e o TCE/RO

Assim que eclodiu a informação de que o ministro Barroso viria a Rondônia com custo de 1h de palestra no valor de R$ 46,8 mil, que seriam pagos pelo Tribunal de Contas (TCE/RO), a coluna “O Espectador” se aprofundou no tema e trouxe nuances à apreciação dos leitores. Até que, conforme nosso último registro sobre a situação, o contrato foi rescindido “amigavelmente”.

Menções no noticiário nacional

No dia 04 de abril, o portal GGN publicou matéria intitulada “Barroso em silêncio: pelo 2º ano consecutivo, TCE-RO pagou R$ 46 mil por palestra”. Lá, o noticiário registrou em determinado trecho que “As apurações não pararam. Além do primeiro documento, o do Diário Oficial do Estado que publicou o "aviso de inexigibilidade de licitação" envolvendo o ministro para conceder a palestra , outros foram divulgados a cada dia. A coluna "O Espectador" levantou outros que encurralaram ainda mais a então regular palestra do ministro".


Foto: Nelson Jr. / Jornal Grande Bahia

E ainda

No mesmo registro, o site de notícias pontua em outra passagem: “Diversos jornais e, inclusive a coluna  [O Espectador] suscitaram as seguintes dúvidas: "Se ele não cobrou o valor e sequer sabia que estava arrolado para palestrar em evento promovido pelo TCE/RO, então quem levou a bolada?". Dois questionamentos ainda ficam: quem levou a bolada de 2017 e quem levaria a de agora?

De novo

Quando noticiamos que o contrato com a Supercia Capacitação e Marketing fora rescindido, o portal GGN voltou a mencionar a coluna como fonte, agora da seguinte notícia publicada no dia 20 deste mês: “Sem questionar quem ficaria com dinheiro, TCE rescinde amigavelmente contrato com Barroso”. A matéria informa que “Sem nenhuma divulgação nos meios de comunicação do Tribunal ou da imprensa nacional, a medida ocorreu discretamente, com a notícia anunciada originalmente pelo blog O Espectador, de Rondônia, que teve acesso ao termo de rescisão e ao despacho proferido pela Secretaria Geral de Administração do TCE”.

Absolvido em sete ações penais

O ex-presidente da Emdur Mário  Sérgio Leiras Teixeira, que ocupou a função à época da gestão Roberto Sobrinho (PT), foi absolvido em sete ações penais movidas pelo Ministério Público (MP/RO).

Resultado de imagem para Mário Sérgio Leiras Teixeira

Fraude à licitação e peculato

Todas as ações foram julgadas improcedentes por inépcia da inicial, ou seja, porque o MP/RO não comprovou o dolo específico nem prejuízo ao erário. A defesa do ex-presidente da Emdur, em todos os casos, foi elaborada pelo escritório Nelson Canedo Advogados Associados através do advogado Igor Habib Ramos Fernandes.


Trecho frenético de interação com o público em Toxicity, do Soad, executada pela banda Ataque Urbano

Boto Rock é nostalgia pura

O festival realizado no último final de semana pela Prefeitura de Porto Velho através da Fundação Cultural (Funcultural) foi nostalgia pura – mesmo com todas as suas novidades. Pretendo me aprofundar, claro, em texto apartado provavelmente publicado na coluna Visão Periférica, mas, antes de qualquer coisa, é preciso exaltar o grandioso evento Boto Rock que, a despeito de promover bandas regionais e suas composições, brindou o público maciço com músicas excepcionais e performances memoráveis.


Ocampo merece os nossos parabéns pelo festival; está perdoado por queimar a camisa do Grêmio, inclusive

As batalhas de Ocampo

O Boto Rock aconteceu e foi um sucesso principalmente por conta do trabalho de Ocampo Fernandes, presidente da Funcultural – um dos poucos remanescentes do secretariado técnico original prometido pelo prefeito Dr. Hildon Chaves (PSDB). A força o deixou de pé durante os dois dias enquanto seu pai, patriarca da família, vive seus últimos dias no hospital – conforme o próprio presidente anunciou em seu perfil no Facebook. Registramos, pois, os mais sinceros parabéns e as devidas condolências pelo momento de tristeza e consternação.

Falando em Hildon...

Nunca pensei ver a blogueira Luciana Oliveira abafando uma vaia ao tucano. Crítica ferrenha de Chaves e outros peessedebistas, acabou impedindo um “Fora Hildon” ao dizer no palco que o evento merecia elogios. “Sou crítica, mas não desonesta. Quero parabenizar Ocampo e o prefeito pelo Boto Rock Festival”.

E aí

Ao trocar a postura crítica pelos elogios, o público acabou concordando e a ativista faturou aplausos no evento que tinha entre os patrocinadores os irmãos Mariana e Maurício Carvalho, “amigos do rock”, como registrava o locutor oficial do evento a cada mudança de palco. Isto apesar de a dupla não ter aparecido para sujar os pés na terra do Parque da Cidade.

Ramificações do escândalo da ponte

Aparentemente, o que a coluna registrou sobre a cobrança feita por um ex-secretário de Estado de gestões anteriores a de Confúcio e Daniel contra a Construtora Ouro Verde pode não ser apenas uma exigência de quitação de débitos.

Relembre
TCE/RO rescinde “amigavelmente” contrato de R$ 46,8 mil por 1h de palestra com Barroso em Porto Velho

Lembrando

A Ouro Verde é a empresa acusada pelo Ministério Público (MP/RO) de receber R$ 18 mi – do total de R$ 30 mi – através de um acordo supostamente ilegal travado pela Justiça Arbitral de Ji-Paraná com o ex-diretor do Departamento de Estadas de Rodagem (DER/RO).


Que tipo de negócio renderia uma dívida de R$ 3 milhões com ex-secretário de Estado?

Cobrança

Mas a cobrança do ex-secretário em questão traz dúvidas no ar. É bom lembrar que a Ouro Verde operava obras públicas no Estado de Rondônia na época em que o cidadão era titular de uma pasta importantíssima para o custeio dos contratos. No mínimo, algo a ser muito bem explicado e com todas as cartas na mesa. O assunto já chegou às raias do MP/RO e também será levado ao plenário do Legislativo. Se tiver rolos, o rondoniense saberá! 


Série da Folha mostra dado preocupante sobre Rondônia

Rondônia e a segurança pública

Uma série iniciada pelo jornal Folha de S. Paulo expôs dados preocupantes relacionados a Rondônia. Em 2015, apenas 24,6% dos homicídios chegaram à fase de denúncia. Se o panorama não mudou de lá pra cá, estamos com problemas. Só neste último final de semana a sangria permeou os veículos de comunicação regionais. Do jeito que está não dá pra continuar!

Leia:
Série sobre segurança pública aponta que em Rondônia apenas 24,6 % dos homicídios chegaram à fase de denúncia em 2015

Contato

Estamos à disposição através do e-mail viniciuscanova89@gmail.com. Lembre-se: “O Espectador” é veiculada originalmente no Rondônia Dinâmica, mas a reprodução está autorizada desde que citada a fonte.

Autor / Fonte: Vinicius Canova / O Espectador

Leia Também