No que depender dos vereadores de Porto Velho, mais de R$ 200 milhões podem escoar pelo ralo...

Traquinas

Nos centros maiores não acontecem tantas traquinagens por parte de políticos, porque a imprensa é mais forte e atuante, facilitando o acompanhamento dos acontecimentos por parte da população. Maracutaias ocorrem na surdina, na calada da noite, e não em uma sessão da Câmara de Vereadores, por exemplo. Já em Porto Velho, as peculiaridades são um pouco diferentes, mas isso pode mudar.

População

As mídias sociais são uma potente ferramenta para que os políticos respeitem a população. É bom usar essa arma na Câmara de Vereadores, onde alguns traquinas devem votar, na próxima semana, um projeto tratando de um precatório milionário. No que depender dos vereadores, mais de R$ 200 milhões podem escoar pelo ralo. Que tal começar a perguntar isso a eles?

Reuniões

A população pode cobrar, fiscalizar. E não adianta os vereadores começarem a dizer que não sabem de nada. O precatório teria sido tema de mais de uma reunião secreta. É claro que o Ministério Público vai agir. O deputadoestadual  Hermínio Coelho (PDT), que insistentemente tem cobrado moralidade, já conversou com diversos promotores sobre o caso, que deverá ser escandaloso.

Para onde vai?

Muita gente diz que o prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires (PSB), renunciará ao cargo para ser candidato ao Senado. Ele próprio já teria confidenciado isso a alguns aliados, mas agora uma turma tenta convencê-lo a mudar de ideia. O grupo quer que Jesualdo de fato renuncie, mas para ser candidato a vice-governador, em uma chapa governista. Por enquanto é uma hipótese, como muitas outras.

Composição

O caso é que os diversos pré-candidatos estão conversando entre si, e dependendo dos rumos dos acontecimentos e das negociações, alguns já disseram que poderão abrir mão da pretensão, para formar uma chapa de consenso. Dependendo de como acontecerem determinadas alianças, poderá ser formado um grupo muito forte para disputar o governo do Estado.

Precatório

Reza a lenda que determinado pré-candidato ao governo estaria contando com dinheiro oriundo de um precatório para tocar a campanha eleitoral, quando chegar o momento. Ele sabe que, agora que o assunto vazou, terá problemas com o Ministério Público, mas diz que não se intimida com isso. O dinheiro pode não adiantar muito, se a coalizão formatada pelos adversários se concretizar.

Autor / Fonte: Nilton Salina

Leia Também

Loading...