Morcego com vírus da raiva é encontrado em área central 

Morcego com vírus da raiva é encontrado em área central 

A equipe da Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) de Cacoal (RO), município a 480 quilômetros de Porto Velho, recebeu a confirmação de um morcego diagnosticado com raiva no mês de maio. O animal foi encontrado no perímetro urbano na área central da cidade, caído e com dificuldades de voar.

O mamífero foi recolhido e encaminhado para exames no Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen), onde foi confirmado a raiva. A coordenadora de vigilância em saúde, Ivani Gromann, afirma que apenas um caso confirmado de raiva não coloca a cidade em estado de alerta.

Gromann explica que é importante fazer o controle dos morcegos, manter a vigilância, pois são eles que ainda mantém a raiva ocorrendo.

“Os transmissores da raiva para os humanos são os mamíferos, como cães, gatos, morcegos, macacos, animais silvestres, enfim. Mas o morcego são os que mantém a cadeia de transmissão, pois no caso de cães e gatos, eles são vacinados contra a raiva anualmente e acabam não transmitindo a doença”, alertou.

Prevenção

Como medidas de prevenção, a vigilância de saúde de Cacoal realizará a entrega de panfletos explicativos sobre o ocorrido de casa em casa, e ainda será realizada a vacinação de cães e gatos em todas as residências de cerca de 25 quarteirões próximos ao local onde o animal foi encontrado.

“Vamos orientar as famílias para que caso encontre um morcego na casa, caído, não pegue. Coloque um balde ou caixa em cima e ligue para a nossa central que vamos recolher esse animal. Se tiver um cão ou gato alterado, nervoso, babando ou apresentando comportamento alterado, também entre em contato com a vigilância”, orientou Gromann.

A confirmação de um caso de raiva não coloca o município em alerta, segundo Ivani. “Essas ações que estamos tomando são apenas preventivas, não é preciso se preocupar, é só seguir as orientações dadas”, pediu a coordenadora.

Tratamento

As pessoas que forem agredidas por cães ou gatos, devem imediatamente procurar um posto de saúde para fazer o tratamento. A raiva em humanos mata. Segundo Ivani, há apenas dois casos de raiva em humanos registrada de pessoas que não foram a óbito, nos demais todas morreram.

“Esse tratamento é feito de acordo com a lesão, a vítima precisa tomar a vacina ou apenas observar o animal por 10 dias. Se esse animal estiver com raiva, nesse período ele morrerá. Não observamos morcegos, pois ele não morrerá em 10 dias e nem outros animais silvestres. Nesses casos o tratamento deve ser completo”, explicou.

A Unidade de Vigilância Zoonose atende pelos telefones (69) 3907-4195 ou (69) 3907-4092.

Autor / Fonte: Magda Oliveira, G1 Cacoal e Zona da Mata

Leia Também

Loading...