Blogueira ativista que viraliza na Internet pode disputar vaga na Assembleia Legislativa em 2018

Porto Velho, RO – Se na maioria das propostas e até mesmo ideologicamente PT, PSB e REDE nutrem propensão à convergência há, entre as siglas, ao menos um motivo regional para disputa: e ele, no caso ela, vem de Rondônia. 

A jornalista Luciana Oliveira não confirma, mas corre à boca graúda que a ativista, que detém página homônima e totalmente independente na Internet, o Blog da Luciana, recebeu convite de lideranças de três partidos para que dispute as eleições de 2018. Não há acertos prévios sequer para o cargo a qual deverá concorrer, caso aceite o aperto de mãos derradeiro com qualquer um deles; a maior probabilidade gira em torno de um assento na Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE/RO).

LEIA TAMBÉM
Um apelo à Luciana Oliveira

Conhecida por posicionamentos polêmicos contra figuras públicas consideradas poderosas, a blogueira declarou com exclusividade ao Rondônia Dinâmica:

“De fato isso está acontecendo e não por iniciativa minha. Recebi com respeito e gratidão convites lideranças partidárias importantes pra disputar uma vaga na Assembleia, Câmara e até Senado”. 

Com isso, PT, PSB e REDE aguardam a resposta que deve ser dada no início de março, garante a ativista:

“Não tenho dinheiro pra campanha, nem máquina, nem padrinho. O que tenho é a mim mesma, minha coragem, força e a liberdade das redes sociais que frequento com entusiasmo para transformar a realidade social”, disse.

Questionada sobre sua posição ideológica à esquerda e se isso não pode lhe prejudicar sob a mira de todos os canhões da mídia à ala social ultraconservadora, disse:

“Não sou extremista, carrego em mim o compromisso com o diálogo pelo bem da boa política. Se topar esse desafio de concorrer e eleita, precisar conversar com o diabo para promover o bem estar social, o farei sem titubear”, indicou.


Jornalista fala sobre a Reforma da Previdência

Logo em seguida, acrescentou: 

“Minha posição ideológica é progressista. Não represento perdas, destruição de direitos, mas avanços, conquistas. Toda a luta social a que me dedico é nesse sentido. Sou o todo, a pluralidade, o vigor da democracia e, sobretudo, o olhar solidário aos que mais precisam. Sou a fé presente em todas religiões”.

Luciana ainda afirmou que jamais teve pretensão de concorrer a um mandato eletivo. Diz, também, que esses convites nascem do ativo que adquiriu com a militância voluntária através do blog, nascido, inclusive, a pedidos de seguidores do seu perfil no Facebook.

Luciana angariou, com isso, inúmeros apoiadores, simpatizantes e novos seguidores; porém, quanto maior a projeção, maior a quantidade de desafetos e críticos. 

Viral. Sem perceber, sua insurgência virtual ganhou, num curto espaço de tempo, mais e mais compartilhamentos na rede mundial de computadores. Na crítica à campanha proposta pela Rede Globo – Que Brasil você quer para o futuro? – obteve, até agora (porque o número ainda não parou de crescer), 3,5 milhões de visualizações no Facebook, o que rendeu à postagem 158 mil compartilhamentos – seu recorde por ora. “O alcance de tudo que posto é orgânico”, orgulha-se. Isso quer dizer que não há postagens patrocinadas, a proliferação ocorre naturalmente, de forma espontânea. 


Ativista ironiza campanha promovida pela Rede Globo

Mais recentemente, foi vista por meio milhão de brasileiros ao protestar contra a mesma emissora pelo tratamento concedido a 2ª colocada no Carnaval carioca, Paraíso do Tuiuti, cujo enredo criticou do início ao fim o atual presidente Michel Temer (MDB), inclusive retratando-o como um verdadeiro vampiro neoliberal.

LEIA TAMBÉM
A Globo e o brado de Luciana Oliveira, a ativista milionária

Mas, bem antes disso, Luciana já colecionava contendas homéricas: enfrentou publicamente professores da UNIR – um por islamofobia, outro por chamar uma professora de “sapatona doida”; foi perseguida por seguranças do atual presidente por cobrir evento oficial em Rondônia com a camiseta estampada “Fora, Temer!” e até bateu boca com vereadores na Câmara de Porto Velho durante audiência pública sobre livros didáticos distribuídos a crianças e adolescentes. No caso dos professores, recebeu apoio maciço local e nacional. 


Seguranças do presidente fiscalizam movimentações de Luciana, vestida de "Fora, Temer!"

RELEMBRE
Jornalista com camiseta “Fora, Temer!” é cercada e escoltada por agentes durante passagem do presidente por Rondônia

Agora, saindo do ringue e posicionando-se à poltrona do espectador, a jornalista enfrenta um dilema e seus vários “se”.

Se aceitar ingressar à REDE, poderá dar adeus prematuramente às intenções políticas já que o partido não dispõe da máquina administrativa nem de força institucional e adesão popular no Estado. 

Se o caminho for o PT, onde estão todas as suas bandeiras de luta, esbarrará com cartas marcadas e currais fechados tocados por lideranças que não estão nas ruas. Não mais. Sendo assim, além de não ter apoio certo com tanto cabresto dos caciques do partido, ainda perderá votos da direita – que em parte já declara apoio à postulação – justamente porque o PT perdeu o protagonismo no debate político local. 

Agora, se a trilha levar ao PSB, o panorama melhora no cenário de disputa. O partido que conta com nomes fortes como o do ex-prefeito Mauro Nazif, o vice-governador Daniel Pereira e o atual prefeito de Ji-Paraná Jesualdo Pires tem nominata forte para este ano. Lá, Luciana daria e teria visibilidade numa eventual campanha.  Nesta perspectiva, quem for de esquerda e gostar dela, apoia. Quem não, também poderá aderir à causa.  

“Tenho o mais profundo respeito  e gratidão pelos convites que recebi de lideranças desses partidos. Estou na luta social com filiados do PT, PSB e Rede. Nem queira saber a quantas anda meu coração sobre decidir concorrer e por qual partido.  O que sei hoje é que com ou sem mandato, jamais abandonarei a luta por mais direitos e para todos”.  

Com um blog autônomo de três anos de existência, uma página pessoal no Facebook com milhares de seguidores – sem mandato – e uma fanpage avaliada com 5 estrelas pelos usuários, Luciana surge como importante figura pública a servir de cinturão ao vencedor da batalha entre PT, PSB e REDE: que vença o melhor, ou, no caso, a melhor proposta!

Será a primeira filiação partidária da jornalista que também é bacharel em direito e já trabalhou em muitas campanhas políticas. Se decidir disputar uma vaga, Luciana estará à frente das câmeras, mas para falar de suas propostas.

Autor / Fonte: Rondoniadinamica

Leia Também

 
Loading...