Após decisão do STF, Jaqueline afirma que Cassol se prepara para disputar Governo de Rondônia

Após decisão do STF, Jaqueline afirma que Cassol se prepara para disputar Governo de Rondônia

Em visita à redação do jornal vilhenense FOLHA DO SUL ON LINE e da Gráfica Graphite, na manhã desta sexta-feira, a advogada Jaqueline Cassol, presidente do Partido Progressista em Rondônia, confirmou sua intenção de concorrer a deputada federal no ano que vem, e falou dos potenciais candidatos pela sigla no Cone Sul.

Em visita às cidades da região, Jaqueline, que visitou o site em companhia do pecuarista e ex-secretário regional Ilário Bodanese, disse que está trabalhando para que a também advogada vera Paixão aceite concorrer a federal; e disse que vem conversando com a ex primeira-dama, Lizangela Rover, que estaria disposta a brigar por uma cadeira na Assembleia legislativa em 2018.

A líder do PP revelou, ainda, seu convite para que o prefeito de Cerejeiras, Airton Gomes, seja candidato a deputado estadual em seu grupo. “É um líder respeitado nas cidades da região e torcemos para que ele concorra”, confidenciou.

CASSOL NA BRIGA

Jaqueline também comentou a decisão recente do STF que, nesta semana, substituiu a prisão do senador Ivo Cassol por multa e serviços comunitários. 

A irmã do parlamentar explicou que, com a decisão, Ivo reafirmou sua disposição para disputar o Governo de Rondônia em 2018. Segundo ela, além da prescrição dos crimes atribuídos ao senador, ele também escapa da inelegibilidade por um critério adotado pelo próprio Supremo: “A Lei da Ficha Limpa adota três critérios em casos de condenação: que o acusado tenha agido com dolo, que tenha havido dano ao erário e que ocorra enriquecimento ilícito. Nenhum deles se aplica ao Ivo”.

Conforme revelação da dirigente Partidária, o irmão está preparado para as tentativas de adversários de barrá-lo no tapetão: “Vão tentar, mas ele não teme isso. É bom lembrar que, em 2010, ele concorreu sob liminar, após ser denunciado por opositores. Venceu a disputa pelo Senado e está no cargo até hoje”

A postulante à Câmara dos Deputados disse que Cassol vai recorrer da sentença, mas pretende cumprir a condenação: “Ele ainda não sabe onde prestará serviços comunitários. E falou que é triste pagar por algo que não cometeu. Mas pretende cumprir a sentença de cabeça erguida”, finalizou.

Autor / Fonte: Folha do Sul Online

Leia Também

Comentários